2013-11-03

Aloé Vera e Mel contra o Cancro


Olá a todos! Como vai a vossa dieta?

Não sei se já ouviram falar numa receita de aloé vera (babosa) e mel que, supostamente, combate o cancro. Bem ... eu já tinha ouvido falar há bastante tempo, mas confesso que não liguei muito, considerando essa receita apenas mais uma entre as muitas da famosa sabedoria popular. Entretanto ... decidi fazer alguma pesquisa sobre o assunto e as matérias com que me deparei foram muito interessantes, pelo que decidi partilhar convosco.

A partir de alguns estudos, a bióloga Rebeka Tomasin, do Laboratório de Nutrição e Cancro da Unicamp, decidiu combinar o aloé vera e o mel num homogeneizado, o mesmo utilizado na medicina popular, para avaliar a sua ação sobre o crescimento tumoral e a caquexia.

De acordo com Tomasin, cobaias portadoras de tumor de Walker 256 que foram tratadas com o homogeneizado após a indução do tumor apresentaram resultados positivos na diminuição da massa tumoral e nos efeitos modulatórios sobre os tecidos do hospedeiro e simultâneo efeito destruidor sobre o tecido tumoral.

A análise do stress oxidativo e da atividade de enzimas antioxidantes revelou que, nos animais tratados com aloé vera e mel, os tecidos hospedeiros foram "protegidos", enquanto o tecido tumoral sofreu um maior "ataque" oxidativo.

Baseada nestes resultados, Tomasin concluiu que, neste modelo experimental, a administração de aloé vera e mel preserva a integridade dos tecidos hospedeiros enquanto provoca o detrimento do tecido tumoral.

Estudos realizados anteriormente mostraram que o aloé vera contém várias propriedades terapêuticas importantes, incluindo prováveis efeitos anti-cancro. Além disso, há evidências de que o mel seja um agente moderador anti-tumoral, com relevantes efeitos anti-metástase.
 
Estudos muito interessantes, não vos parece? O aloe vera, no entanto, é desaconselhado para todos os tipos genéticos, exceto para "professor", para o qual tem ponto (o mel é superalimento com losango para este tipo genético). Ou seja, as pessoas deste último tipo genético podem experimentar esta receita se não estiverem doentes, o que faz com que este homogeneizado seja apenas preventivo (pois pessoas deste tipo genético que estejam doentes, inclusive com cancro, devem evitar alimentos com ponto). 

Como fazer? Segue a receita.

Ingredientes
  • 3 ou 4 folhas de babosa (pode ser a Aloe Vera ou a Aloe arborescens), 
  • 1/2 litro (ou 500 gr) de mel puro,  
  • 3 colheres de alguma bebida destilada (por exemplo: whisky, vodka, aguardente).
As folhas devem ser colhidas sem a luz do sol; se tiver chovido, deves esperar 5 dias para colher. 

Retirar os espinhos das laterais. Cortar as folhas e colocar no liquidificador: as folhas picadas (com a casca), acrescentar o mel puro e quatro colheres (sopa) da bebida destilada. Bater bem. Obtém-se uma espécie de creme. Colocar essa mistura em vidro escuro (e bem seco) no frigorífico. O preparado não deve ficar exposto à luz nem entrar em contato com a água.

Como usar o preparado: 1 colher de sopa, 15 minutos antes das três principais refeições, durante 10 dias. Descansar 10 dias.Repetir todo o processo  vezes, uma vez por ano. 

É normal que solte o intestino. Como mexe profundamente no organismo, pode também provocar algumas outras reações, como pequenas erupções.

Nota importante: este blog é meramente informativo. Tenham o cuidado de consultar o vosso terapeuta antes de iniciar qualquer tratamento.

Fontes: